sábado, 31 de janeiro de 2009

Vitrine Virtual, Lu Fernandes


Oi pessoal, essa é minha primeira publicação no ZOOMCARIRI.COM, espero que gostem.

Por favor, sintam-se à-vontade para comentar de qualquer maneira. Abraços!

VITRINE Virtual, Pachelly Jamacaru

Pequí, uma paixão!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

ENSAIO, Claude Bloc

.
.
Flores & Cores
***
A luz evidencia os traços
em sorrisos brancos sombrios

azulando o sonho...

perfumando o dia...

ao beijo do sol...

.
Fotos e texto por: Claude Bloc

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

100 ANOS DE POESIA

O Maior Poeta Popular do Brasil
Antônio Gonçalves da Silva, PATATIVA do ASSARÉ, neste 5 de Março de 2009 ( Foto na Serra de Santana- Assaré- Ce, em 1973 de Jackson Bantim )

Vitrine Virtual, Emerson Monteiro


terça-feira, 27 de janeiro de 2009

O L H O DA F L O R A


Dedico a Djaci Oliveira Bantim. ( Foto: Jackson Bantim )

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Vitrine Virtual, Emerson Monteiro


FESTA DA SANTA CRUZ DA BAIXA RASA

Comitiva dos Vaqueiros da Santa Cruz da Baixa Rasa
Vaqueiro GALEGO ARAUJO, um dos organizadores

Vaqueiro NALDO, um dos organizadores


Vaqueiro Pedro Gonçalves, visitante



Momento de Oração

FESTA DA SANTA CRUZ DA BAIXA RASA, Inicio as 7h, do dia 25 de Janeiro de 2009 (Fotos- Jackson Bantim )

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

MASSAFEIRA 30 ANOS - 1979 / 2009

OS CRATENSES NA MASSAFEIRA
Abidoral Jamacaru, Jackson Bantim ( Bola ), Pachelly Jamacaru, Emerson Monteiro, Geraldo Urano, Luiz Carlos Salatiel, Tiago Araripe, Cleivan Paiva, Zé Gato, Rosane Limaverde, Ivan Alencar, Luiz José dos Santos, Rogerio Alencar Rafael, Walderedo Gonçalves, Pedro Oliveira ( Cego Oliveira ), Irmãos Aniceto e Orquestra Padre Ágio Moreira.

domingo, 11 de janeiro de 2009

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

ATRTIGO


A LINGUAGEM DA FOTOGRAFIA, Por Clovis Loureiro

A linguagem da fotografia é a linguagem do ver. Do visto. O que, afinal, um fotógrafo expressa é o seu modo de ver o mundo. E podemos ver com mais ou menos inteligência, com mais ou menos sensibilidade, com mais ou menos originalidade, mais ou menos espontaneidade.
Ver é um ato intencional e criativo, exige vontade e motivação interior. Geralmente os fotógrafos são pessoas que se deleitam com o ver. Ver com profundidade significa compreender.
Alguém caminha por uma ampla calçada a beira mar, numa tarde serena. De repente, vê à sua frente um banco vazio, umas pedras emergindo da água e uma pequena árvore seca que, desde o ponto de vista em que se encontra, estão harmoniosamente dispostas no espaço. (fotografia 1) Ele compreende que aquela imagem é ele mesmo naquele momento, é aquela tarde, é aquela experiência. Isto é a fotografia. A experiência pode adquirir graus cada vez maiores de complexidade, ou pode ser simples como um sorriso. E desta maneira variam as fotografias.
Então tudo o que temos a fazer é, basicamente, desenvolver a nossa observação, afirmar a nossa atenção. É graças à curiosidade, à observação minuciosa e uma certa engenhosidade no olhar que se chega à percepção de imagens significativas. Estar alerta é importante. Estar presente. Se estivermos perdidos em pensamentos, a realidade (pelo menos a visível) se nos escapa dos olhos. E da câmera. A fotografia é enfim a testemunha da qualidade do nosso ver.
Não vemos, porém, apenas com os nossos olhos. Podemos fazê-lo com a totalidade do nosso ser. Ver é sempre dinâmico. Reconhece e descobre objetos. Cria relações e atribuem significados. Projeta nossas fantasias, evoca nossos sentimentos e provoca reações. Reagimos: fotografamos.
A cada maneira de ver corresponde uma linguagem fotográfica, e a parte a limitação da necessidade do mundo se manifestar a nossa frente, suficientemente iluminado, para que o fotografemos, não há limites para a linguagem fotográfica. Sempre inventamos novas maneiras de ver.
A fotografia nasce da capacidade de maravilharmo-nos, de encontrar sentido, de deixarmo-nos tocar por aquilo que vemos. Como já afirmaram muitos fotógrafos não há nada a fazer, a não ser estar presente, estar aberto ao mundo sentir-se implicado com aquilo que se vê.
Fotografia é imagem. Mas não apenas. Ela é o tempo detido, é a memória. É a evidência da luz que incidiu sobre um objeto específico, num lugar específico, num momento específico. Se por um lado isto soa como uma limitação, por outro é o próprio mistério da fotografia. Aquilo que vemos numa foto aconteceu. Às vezes de uma maneira que não sabemos como ou porque a fotografia não explica. Mas aqueles objetos e pessoas que se gravaram sobre o filme e hoje são imagens, ontem existiram. É isso que estimula nossa imaginação.
Fotografia é a linguagem do inesperado, boas fotografias não acontecem toda hora. A fotografia é um encontro. Eis o seu sabor. Um encontro entre o fotógrafo e o momento. Uma cena e o seu reconhecimento. A fotografia trabalha com o acaso e se vale da intuição. Assim se realiza o encontro.
Tudo o que queremos ao tirar fotografias é compartilhar nossa visão do mundo e nossa sensibilidade à vida como os outros. É como dizer: olha só aquilo! E aí está todo o significado. Não há mais nada a explicar. Nada a acrescentar. O resto é por conta de quem observa a fotografia.
Num mundo tão inflacionado de imagens, a maioria delas arrogantes e fetichistas, quando não simplesmente sensacionalistas, por que não nos abrirmos àquelas fotografias sensíveis e reveladoras, cheias da autenticidade de quem se sente comprometido com a vida?

Pesquisa Internet

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

ENSAIO, Claude Bloc

Sol Poente
*************
O sol flameja esvaindo-se em luz

Acomoda-se no dorso da serra

Inspira-se...
.
Acalenta o ocaso

Senta-se na soleira do dia

Esconde-se nos sonhos indomados

E adormece no colo da noite...
.
Fotos e texto por: Claude Bloc

domingo, 4 de janeiro de 2009

ENSAIO, Moacir S. Cavalcanti
















Chapada Diamantina, um oasis no coração do Nordeste Brasileiro com suas cores, arquitetura e natureza preservada um colirio aos nossos olhos e uma paz em nossos corações.

sábado, 3 de janeiro de 2009

TIAGO ARARIPE NO SESC DE CRATO


Neste domingo, 04 de janeiro, às 20h, no SESC de Crato, será o lançamento do CD Cabelos de Sansão, do artista caririense Tiago Araripe. Na oportunidade, o músico mostrará ao público o seu trabalho, em noite de cultura e arte. Todos são convidados a esta noite de autógrafos de um dos valores essenciais de nossa Região.


sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Vitrine Virtual, Emerson Monteiro


ENSAIO, Pachelly Jamacaru

DIHELSON MENDONÇA, Genial e bem nosso!
Este é o meu primeiro ensaio do ano 2009, tendo como tema, nada mais nada menos do que o meu amigo Dihelson Mendonça, a quem presto minha singela homenagem! Sem sombra de dúvidas, um gênio que a cidade do Crato tem muito do que se orgulhar. Pianista, Arranjador, Compositor, Poeta, Fotógrafo, Videomaker, Web designer, Radialista, Criador e mantenedor de importantes blogs culturais e sociais! Um dos mais conceituado artista do nosso meio. Prepara agora o seu primeiro e por demais esperado CD, sob o título “Em busca da perfeição”. O bom gosto se faz notar em tudo o que Dihelson empreende! Este ensaio é apenas uma pequena parte dos fotogramas do elaborado encarte deste trabalho que acompanha a obra musical, filosófica que chegará ao público com que há de mais refinado. Dihelson não deixa por menos.
Este é Dihelson e, estas são apenas pequenas referências diante do que é essa pessoa multitalentosa! E como pessoa, nem se fala, aí é onde ele transcende e tem a nossa admiração maior! Dihelson é o artista, o gênio e a personificação da “pessoa boa”, “pessoa do bem”, Gente nossa, gente da gente!

Dihelson agradecemos a tua existência e convivência.







Fotos: Pachelly Jamacaru
"Direitos reservados"