terça-feira, 28 de julho de 2009

ENSAIO:AS DUAS FAZES DE UM FOTOGRÁFO...

A faze mais recente no final dos anos noventa.
feira-Livre
A curiosidade dos mortos...Cemitério.
Panela a espera de fomes no açude


A janela de barro é a prateleira do sertão

O suspiro da morte nas mãos da infância

Minhas primeiras fotografias...Maquina Kodak,compacta vendida em Farmácias

A velha estação Ferroviária,Crato-ce no inicio dos anos oitenta

WILSON BERNARDO-Fotografias





segunda-feira, 27 de julho de 2009

Vitrine Virtual, Samuel de Araújo

Viva o Crato terra da agua doce e abundante, um Paraizo belo de flores mil....

domingo, 26 de julho de 2009

terça-feira, 21 de julho de 2009

Vitrine Virtual, Samuel de Araújo

Se Deus quiser o sertão nunca vai virar Mar, porquê bonito mesmo é ver ele aflorar .





quarta-feira, 15 de julho de 2009

VITRINE VIRTUAL, Dedé Cariri

Vitrine Virtual, Samuel de Araújo

Cachaça e cascata no cratinho da rapadura tem, mel cana caiana e mulher bonita também, é por isso que vou ficando no Crato meu bem e você se quiser ficar, fique também.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Vitrine Virtual, Samuel de Araújo

Não posso mais ficar ao seu ladinho,por isso eu colo meu ovido na bbc de Londres, no abc do sertão.

segunda-feira, 13 de julho de 2009


Participe do Encontro de Artistas Visuais e da Exposição de Artes Visuais em Juazeiro do Norte

terça-feira, 7 de julho de 2009

ENSAIO:FOTOESCULTUROGRÁFICAS...WILSON BERNARDO.

A sombra e o equilibrio

o espaço eo tempo da especie na sombra
quem tem conciencia pesada é pedra


o homem sencibiliza o pricipio do nada...

Wilson Bernardo(fotografia & esculturas)



Vitrine Virtual, Samuel de Araújo

Uma velha casa um velho homem um dia novo; lotado de Esperança amor e paz.

domingo, 5 de julho de 2009

Ensaio, Lu Fernandes


Compilei nesse ensaio algumas fotos que de alguma forma se relacionam. Espero que gostem.

Sonho-te - Vitrine, por Claude Bloc

São estes os passos
qua se alastram pela solidão da tarde...
E o sorriso não consegue domá-los
nem contê-los...

Chegam-me as réstias
o resto, o pó de tuas palavras
A aspereza de um gesto
desnecessário
Hoje sonho-te
e tuas mãos estão inertes
e se calam
no calor da tarde.
Por ClaudeBloc

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Vitrine Virtual Samuel de Araújo

Quando eu vim do sertão do meu Bodocó a mala era um saco e o cadiado era um nó o Sertão estar farto, tão farto que ninguém ver o fundo da Panela