quarta-feira, 24 de setembro de 2008





Fotos: Juan Barreto

domingo, 21 de setembro de 2008

O CALDEIRÃO, imagem em foco.

DIÁRIO DO NORDESTE, 21 dezembro 2008

Pachelly Jamacaru visitou o Caldeirão fora da época de romaria para redescobrir o lugar (Foto: ANTÔNIO VICELMO)

Crato. 71 anos depois da destruição do Caldeirão, a história da comunidade, liderada pelo beato José Lourenço, ainda emociona as novas gerações. O palco do drama épico, encenado pelos heróis do povo, ainda inspira poetas, escritores, jornalistas e fotógrafos. Na terra seca, inóspita e acidentada do Caldeirão, um grupo de agricultores escreveu com sangue, suor, lágrima e oração uma das mais tristes páginas da história do Ceará.

O Caldeirão suscita também alegria, trabalho, organização comunitária. É assim que o fotógrafo Pachelly Jamacaru repassa as imagens do Caldeirão da Santa Cruz de Deserto. Ele preferiu ir ao Caldeirão sozinho, fora da época da romaria, para não sofrer a influência da movimentação, ou melhor, a urbanização da área.

Na solidão daquele fim de mundo, o fotógrafo descobriu que a imagem de um cachorro em frente à capela, representava o último guardião de uma epopéia bem nordestina. O velho confessionário de madeira testemunha muda dos eventuais pecados, tendo como pano de fundo a figura do Padre Ibiapina que complementa o quando místico da localidade.

O velho Raimundo com sua mulher, Maria, e os quatros filhos, empunham inconscientemente a bandeira sacrossanta do beato, gritando por liberdade nas quebradas do sertão. As imagens vão repassando na cabeça do repórter como um caleidoscópio do passado.

Foi com esta concepção que Pachelly redescobriu o Caldeirão e refletiu através da lente de sua máquina o seu estado de espírito. Funcionário da Caixa Econômica Federal, ele fez da fotografia não somente uma terapia, mas uma forma emocionante de ver o mundo.

Cada um vê o mundo do seu jeito: uns mais coloridos, outros menos; uns alegres, outros tristes; alguns preocupados com problemas sociais, outros, em retratar situações inusitadas e divertidas. Pachelly diz que, no Caldeirão, viu o boi mansinho, o ritual das orações, a imagem carismática do beato, descendo e subindo ladeira com a cruz nas costas. “Para mim, fotografar o Caldeirão foi um desafio. Eu fui lá para brincar com as imagens”.

Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

AS SETE ALMAS SANTAS VAQUEIRAS - FOTOS DE STILL

Jackson Bantim
direção: As Sete Almas Santas Vaqueiras






still - as sete almas santas vaqueiras
foto: Jackson Bantim

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

domingo, 14 de setembro de 2008

ENSAIO VIRTUAL, Pachelly Jamacaru

O CALDEIRÃO DA SANTA CRUZ DO DESERTO.
Segundo o articulador cultural Jackson Bantim, acontece hoje a romaria ao Sítio Caldeirão.

Este ensaio fotográfico é uma viagem imaginária ao Caldeirão. Sua concepção é pura ficção. O autor apenas se permitiu mergulhar na atmosfera que o lugar visitado transpira e inspira. Crato, Caldeirão, setembro de 2008.

Sabe-se que Foi um dos movimentos messiânicos que surgiu nas terras do Crato, Ceará.
A comunidade era liderada pelo paraibano de Pilões de Dentro, José Lourenço Gomes da Silva, mais conhecido por beato José Lourenço. No Caldeirão, os romeiros e imigrantes trabalhavam todos em favor da comunidade e recebiam uma quota da produção. A comunidade era pautada no trabalho, na igualdade e na Religião.

Sem a proteção de Padre Cícero que falecera em 1934, a fazenda foi invadida, destruída e os sertanejos divididos, ressurgindo novamente pela mata em uma nova comunidade. O caldeirão foi destruído pela primeira vez em 1936, mas o massacre propriamente dito, só veio a ocorrer em 1937 invadida novamente, dessa vez por terra e pelo ar, quando aconteceu um grande massacre, com oficiais 400 mortos. Assim descreve-se na Wikipédia.








Fotos: Pachelly Jamacaru
"expressamente proibido o uso
deste material fotográfico
sem a autorização do autor."

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

IIENCONTRODEFOTOGRAFIAPOPULAR

II ENCONTRO DE FOTOGRAFIA POPULAR

Programação:
Oficinas, excursões e aberturas de exposições já começarão antes da abertura oficial do encontro, entre terça-feira, dia 9 e quinta-feira, dia 11 de setembro. A oficina do Mestre Júlio de fotopintura será realizada nestes dias, no horário de 9:00 as 12:00 horas.

10/09 (quarta-feira)
8:00 horas - 16:00 horas: visita à Casa Grande, em Nova Olinda; Museu de Paleontologia em Santana e Geopark Araripe (com inscrições e cobrança de taxa de R$ 15,00- mínimo de 15 participantes)

18:00 horas: Abertura das exposições na Lira Nordestina e na casa-oficina das Marias (trabalho em barro).

11/09 (quinta-feira)

9:00 horas – 12:00 horas: Oficina fotopintura (continuação/ último dia).

Durante o dia: Inscrições e trocas de informações na Lira Nordestina, montagem de barracas, tendas, divulgação de trabalhos.

18:00 horas: Abertura do encontro no teatro-auditório do BNB, mesa-redonda 01. Em seguida: Abertura da exposição, no BNB/ com apresentação dos filmes: “Retrato Pintado” e “Câmara Viajante”, com os protagonistas dos respectivos filmes presentes.

12/09 (sexta-feira)

9:00horas – 12:00 horas: Visita à casa da artista Telma Saraiva, Crato (com inscrições)

18:00 horas: No teatro-auditório do BNB, mesa redonda 02.

20:00 horas: Fala do fotógrafo estadunidense Dick Welton, Cariri revisitado.

13/09 (sábado)

9:00horas – 12:00 horas: Visitações em Juazeiro do Norte (M. Dodô/ casa dos milagres)

18:00 horas: No auditório do BNB, mesa redonda 03

20:00: Fala de fotógrafo

14/09 (domingo)

A partir das 10:00 horas: Grupos de trabalho, na Lira Nordestina.
A partir das 16:00 horas: Apresentação de resultados. Confraternização.

Mesas redondas:
Todas no espaço do BNB/ teatro-auditório
Exposições:
1. Centro BNB de Cultura, Juazeiro do Norte: fotografia popular;
2. Lira Nordestina, Juazeiro: oficinas/apresentação de projetos/ instalações interativas/ banners de fotografia- Ifoto/ Lambe-Lambe, na visão de xilógrafos;
3. Ateliê das Marias, Juazeiro: fotografia popular em barro;
4. Casa de Telma Saraiva, Crato: retratos pintados;
5. Outros espaços anunciados durante o evento;

Oficinas:
1. Foto-Pintura, Mestre Júlio: Participação somente com inscrição antecipada. A oficina será realizada no espaço da Lira Nordestina, entre os dias 8 e 11 de setembro.
2. Pinhole, com Allan Bastos: Inscrição no dia 11 de setembro.

Troca de experiências/ Excursões fotográficas:
Todo o dia, a partir das 9:00 horas, avisos, notícias e socialização das fotos na
Lira Nordestina.

Projeções de imagens/ Projetos/ Análises de portfólios:
No espaço da Lira, os fotógrafos terão espaço e infra-estrutura para explanar as suas imagens ou projetá-las através de data-show com outros fotógrafos presentes, curadores, amigos, etc. O espaço pode ser usado de forma bastante informal e espontânea, permitindo inclusive a realização de mini-oficinas. Será possível montar barracas, tendas e mini-exposições.

Instalações interativas: Totem (ou altar) fotográfico:
Os fotógrafos serão convidados a depositar uma (ou mais) fotos de sua preferência num espaço apropriado, que perdurará além do encontro, ficando assim como monumento da fotografia.

Varal da romaria:
Num varal, os fotógrafos poderão socializar as suas fotos, feitas durante a romaria.

Às noites, a partir das 21:00 horas, projeções de imagens ao ar livre, na Lira Nordestina.

Não deixe de visitar:
- A pracinha de tendas/ dos ambulantes, em frente da Matriz Nossa Senhora das Dores;
- O foto-estúdio de Telma Saraiva, no Crato;
- A casa da Madrinha Dodô, na Ladeira do Horto;
- As salas de milagres (na praça do Socorre, no Museu do Horto e no abrigo São José, todos em Juazeiro);
- A loja de produtos fotográficos, Gino;
- A Fundação Casa Grande, em Nova Olinda.

A PARTICIPAÇÃO É GRATUITA. UMA INSCRIÇÃO PRÉVIA NÃO SERÁ NECESSÁRIA. NO ENTANTO, QUEM PRECISAR DE CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO, OU QUISER MARCAR ESPAÇOS PARA OFICINAS/ LANÇAMENTOS DE LIVROS/ APRESENTAÇÃO DE PROJETOS, ETC. DEVERÁ FAZÊ-LO COM ANTECEDÊNCIA, NOS E-MAIL: titusriedl@terra.com.br, poesiadaluz@gmail.com ou allanfoto@hotmail.com

Curadoria:
Titus Riedl/ Nívia Uchoa/ Valéria Laena/ Allan Bastos/ Francisco J. de Sousa Nunes/ Tiago Santana
Equipe de apoio:
José Cláudio Leôncio Gonçalves/ Renato Ancântara de Abreu/ Jeani Matias Costa/ Emanuela de Morais Silva/ Celso Oliveira/ Robson Natanael A. Vieira/ Rosângela Vieira Freire. Poesia da Luz, Ifoto.

Realização:
Memorial Cultura Cearense/ Ifoto/ Universidade Regional do Cariri/ Centro Cultural Banco do Nordeste