segunda-feira, 25 de agosto de 2008

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

ENSAIO, Pachelly Jamacaru

A feira do Crato ainda que descaracterizada, mas se bem garimpada, rende ao fotógrafo obstinado, imagens interessantes. Por lá fiz este ensaio despretensioso!









Fotos: Pachelly Jamacaru
"Protejidas por lei"

terça-feira, 19 de agosto de 2008

DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA...

A primeira heliografia (do grego: impressão pelo sol), como Niépce lhe chamou, data de 1822: uma placa de vidro com a representação da casa que habitava e o respectivo jardim.


Breve história da fotografia...

Evolução cronológica dos principais registros:

Grécia, antes de Cristo – Aristóteles – Criação da imagem através de um orifício.
Século X – Alhazen (árabe) descreveu como observar um eclipse solar no interior de uma câmera obscura.
Século XVI – Redução da câmera obscura (auxiliar na pintura).
Século XIX (1826) – Joseph Nicephore Niépce (francês) foi a primeira pessoa no mundo a tirar uma verdadeira fotografia - processo heliográfico com 8 horas de exposição à luz.
Ano de 1830 – Josef Petzval criou uma nova lente dupla abertura F 3.6 (30 vezes mais rápida que a anterior).
1832/1833 – Hércules Florence descobre isoladamente a fotografia na Brasil - na vila de São Carlos, atual cidade de Campinas (SP).
1835 – Louis Jacques Mandé Daguerre, firmou-se como único inventor da fotografia prática, através de seu - Daguerreótipo - chapa de cobre revestida com prata, banhada com iodeto de prata. Na presença de vapor de mercúrio surge a imagem, gerando um único positivo (era o "polaroid" da época).
1840 – Willian H. Fhox Talbot, descobre o processo negativo/positivo usando como filme folhas de papel sensibilizado (preparado para reagir à luz) que depois foi substituído por vidro. Os negativos de vidro foram usados até os anos 50.
1871 – Richard Leach Maddox, primeira chapa usando gelatina para manter o brometo de prata no lugar.
1877 – George Eastman, popularizou a fotografia com a criação do filme flexível (em rolo), que tinha o nome de "American Film" e vinha com 100 poses.
1925 – Lançamento da câmera 35mm (Leica)...
Os foto clubes:

1853 – Primeiro foto clube do mundo o Royal Photografic, Londres - Inglaterra.
1918 – Primeiro foto clube brasileiro, Photo Club Helios, Porto Alegre (RS).
1923 – Photo Club Brasileiro, Rio de Janeiro (RJ).
No dia 28 de abril de 1939 foi fundado nas dependências do edifício Martinelli, em São Paulo, o Foto Clube Bandeirante.
1942 – Primeiro Salão Nacional de Fotografia, promovido pela prefeitura de São Paulo e organizado pelo Foto Clube Bandeirante.
1945 – Mudança do nome do clube para Foto Cine Clube Bandeirante por seus trabalhos na área cinematográfica.
1950 – Declaração de utilidade pública estadual.

AOS FOTOGRAFO DO ZOOM NOSSAS SINCERAS HOMENAGENS!

Pachelly J.

DIVULGAÇÃO EXPOSIÇÃO

Clik para ampliar imagem.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Vitrine Virtual, Jorge Pierre




Eclipse parcial da lua, dia 16/08/08







quarta-feira, 13 de agosto de 2008

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

PARABÉNS PARA O ZOOM!

Pois é, hoje é um dia mais que especial!

Hoje o nosso querido blog completa o seu primeiro aninho! É, um ano de Zoomcariri! O que nos deixa imensamente feliz, é a participação daqueles que acreditaram e dão suporte com suas maravilhosas fotos a este que não tem outro propósito a não ser fazer-se comungar nós pessoas comuns, com nós fotógrafos, testemunhadores de tempos, facilitadores da compreensão do mundo em que vivemos por intermédio desta arte secular! Tornamo-nos uma família, que com humildade damos nossa parcela de contribuição para o crescimento profissional um do outro.
O Zoomcariri é uma vitrine aberta antes de tudo aos amantes da fotografia. Aqui, ninguém é melhor do que ninguém, apenas cada um olha com prisma diferenciado o que Criador e o homem criaram ou edificaram com espiritualidade e sabedoria. Recortamos o tempo e o eternizamos em frações de segundo. Nosso universo pelo universo da fotografia. Se você é membro e ainda não efetivou postagem, convidamos a fazê-lo, venha ter conosco o prazer de ver o seu trabalho compartilhado com um número sem fim de apreciadores que navegam em nossas páginas!

É pra vocês, não podia ser senão pra vocês fotógrafos do Zoom, os nossos parabéns!

Pachelly J.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

II Encontro de FOTOGRAFIA POPULAR

O Zoomcariri indica e recomenda, que fotógrafos e apreciadores de fotografias participem, prestigiem este evento da maior importância.

Clic na imagem para ampliar.


CLIC na imagem para ver programação.



Cartaz Divulgação.

sábado, 2 de agosto de 2008

CAPTAÇÃO DE CORES...

Infelizmente, cada photosite é cego para cores. Eles somente mantêm-se a par da intensidade total da luz que golpeia sua superfície. A fim de capturar uma imagem cheia de cor, a maioria dos sensores usa filtrar para olhar a luz em suas três cores preliminares. Uma vez que todas as três cores foram gravadas, podem ser adicionadas juntas para criar um spectrum cheio de cores que você cresceu acostumado a ver em monitores do computador e em impressoras de cor.

Capturando Cor: Divisor de Feixe

Há diversas maneiras de gravar as três cores em uma câmera digital. As câmeras de maior qualidade usam três sensores separados, cada um com um filtro diferente sobre ele. A luz é dirigida aos diferentes sensores colocando um divisor de feixe na câmera. Pense na luz que entra na câmera como a água que corre através de uma tubulação. Usar um divisor de feixe seria como dividir uma quantidade idêntica de água em três tubulações diferentes. Cada sensor começa com um olhar idêntico da imagem; mas por causa dos filtros, cada sensor responde somente a uma das cores preliminares.

A vantagem desse método é que a câmera grava cada uma das três cores em cada lugar do pixel. Infelizmente, as câmeras que utilizam esse método tendem a ser grandes e caras.

Capturando Cor: Interpolação

Uma maneira mais econômica e mais prática de gravar as três cores preliminares de uma única imagem é colocar permanentemente um filtro sobre cada photosite individual. Quebrando o sensor em uma variedade de pixels vermelhos, azuis e verdes, é possível coletar informação suficiente nas localidades próximas de cada sensor para fazer suposições bem exatas sobre a cor verdadeira nessa posição. Este processo de olhar os outros pixels na vizinhança de um sensor e de fazer uma suposição estudada é chamado interpolação. (você aprenderá mais sobre pixels mais tarde. Por agora, pense em um photosite como um único pixel.)

Capturando Cor: Girando o Disco

Um segundo método é girar uma série de filtros vermelhos, azuis e verdes na frente de um único sensor. O sensor grava três imagens separadas em uma sucessão rápida. Este método também fornece informações em todas as três cores em cada posição do pixel; mas uma vez que as três imagens não são feitas exatamente no mesmo momento, a câmera e o alvo da foto devem remanescer estacionários para todas as três leituras. Isto não é prático para fotos espontâneas ou câmeras de mão.

Capturando Cor: Algorítmos Demosaicing

Se você olhasse mais aproximadamente da imagem no padrão do filtro de Bayer, você poderia pensar como uma câmera digital pode conseguir sua total definição anunciada se leva quatro pixels separados para determinar a cor de um único pixel. Câmeras digitais utilizam algoritmos demosaicing especializados para converter o mosaico de cores separadas em um mosaico de mesmo tamanho com cores verdadeiras. A chave é que cada pixel colorido pode ser usado mais de uma vez. A cor verdadeira de um único pixel pode ser determinada calculando a média dos valores dos pixels circunvizinhos os mais próximos.



Um algorítmo demosaicing trabalhando

Há outras maneiras de manusear a cor em uma câmera digital. Algumas câmeras de sensor único usam alternativas ao padrão do filtro de Bayer. Uma companhia chamada Foveon desenvolveu um sensor que captura todas as três cores por mergulhar em silicone os foto-detectores vermelho, verde e azul. Esta tecnologia X3 funciona porque cada luz vermelha, verde e azul penetra o silicone a uma profundidade diferente. Há também um método que usa dois sensores. Algumas das câmeras mais avançadas não adicionam os diferentes valores do vermelho, verde e azul, mas ao contrário, subtraem valores usando as cores típicas ciana, amarela, verde e vermelha. Entretanto, a maioria das câmeras no mercado usa um único sensor com fileiras alternadas de filtros verdes/vermelhos e verdes/azuis.

Capturando Cor: O filtro Bayer

O padrão mais comum dos filtros é o padrão do filtro de Bayer. Este padrão alterna uma fileira de filtros vermelhos e verdes com uma fileira de filtros azuis e verdes. Os pixels não são divididos uniformemente – há o mesmo número de pixels verdes quanto azuis e vermelhos combinados. Isto é porque o olho humano não é igualmente sensível a todas as três cores. É necessário incluir mais informação dos pixels verdes a fim criar uma imagem que o olho perceba como "uma cor verdadeira".

As vantagens deste método são que somente um sensor é requerido, e toda a informação da cor (vermelho, verde e azul) é gravada no mesmo momento. Isso significa que a câmera pode ser menor, mais barata, e útil em uma grande variedade de situações. Em outras palavras, com isso é possível criar uma câmera digital mais acessível monetariamente. A saída de um sensor com um filtro de Bayer é um mosaico de pixels vermelhos, verdes e azuis de intensidades diferentes.

Fonte de pesquisa:
Cameradigital.com.br