domingo, 5 de dezembro de 2010

Serra Verde II - Ensaio Fotográfico: Dihelson Mendonça


P
oucas coisas na vida nos causam tanto prazer quanto sair um pouco do mundo "civilizado" e buscar a natureza. A vida plena está na natureza, e não entre quatro paredes. Atendendo ao convite de Claude Bloc, Daniel Bloc e Edilma Rocha, passamos um fim-de-semana simplesmente varavilhoso num dos mais belos lugares do cariri, a Serra verde, próximo a Dom Quintino, onde conversamos bastante, fizemos piquenique, e fotografamos muito. Eu devo ter feito mais de 500 fotos ao todo. Estas aqui são apenas algumas que selecionei para um ensaio, e que faço questão de dedicar a alguns dos meus Amigos de Verdade. Por favor, não fiquem tristes se seu nome não apareceu ainda na lista. Seriam necessárias inúmeras páginas do Blog se eu fosse listar todos os amigos.

ENSAIO FOTOGRÁFICO

E o que seria a vida, se não fossem esses pequenos momentos que guardamos para a eternidade ? Algo que transcende as percepções, que escapa aos sentidos, e se traduz na beleza pura ? - Para Claude Bloc.

arvore amarela 01 700

E o que somos ? qual a noção da nossa grandeza, quando tudo é apenas uma questão de perspectiva ? O homem é o ápice da criação ? Da natureza ? - Viva o Einstein, que nos provou há muito tempo, que o tudo é relativo. Fotos dedicadas aos amigos e colaboradores do Blog do Crato, Prof. Armando Rafael, Emerson Monteiro, Antonio Morais, José Milton Arraes, Amilton Silva, Carlos Rafael, Maria Otília, Janinha, Alessandra, Gabriella Federico, e tantas pessoas maravilhosas que estão conosco.

curva 700


por do sol ninha 650


ninha entre forquilha 400

Viver é assimilar conhecimentos. É aprender novas técnicas para refazer coisas que já fazíamos. Por exemplo, ao fazer esta foto, eu quis fazer bem ao estilo da Edilma Rocha, que gosta sempre de emoldurar as suas fotos com os galhos das árvores. Bidu, espero que tenha gostado, porque essa é dedicada a você, Edilma Rocha.

lago azul 01


Deus me foi muito bom comigo, porque me deu por fiel companheira aquela que não era, mais foi se tornando minha alma gêmea, e sem ela a vida hoje não teria sentido. Ninha, essa foto é dedicada a você, estavas bem distraída sem saber que era fotografada.

ninha canoa 600 x 400

Esta foto é dedicada ao meu Pai, falecido em 1995. Estamos sem a sua presença física há 15 anos, mas a presença espiritual é constante. Ele tem sido meu fiel guia em todos os passos. Obrigado, meu amigo, por estar sempre comigo. Acho que ele teria gostado dessa foto da canoa.

canoa 400 x 600

A foto abaixo é para um mestre da fotografia. Um mestre que tem me auxiliado como a um irmão, e que quando eu não entendia nada sobre fotografia, ele têve a paciência de me ensinar os primeiros passos, e conseguir despertar o amor por esta arte grandiosa: Pachelly Jamacaru.

cadeira peb 650



ninha no banco 2

Esta aqui vai para um grande grande amigo. Um amigo meio louco, que se eu oferecesse algo normal, ele não iria gostar. Este foi um dos trabalhos que me deu mais trabalho. Dedico ao grande fotógrafo, repórter e ser humano Wilson Bernardo, que chegou lá pela Serra Verde à noite, e olha, o homem é muito humano, mas ronca como um Tyranossauro Rex. Valeu, Bernardão...

sapinho

Estas duas fotos aqui em si, já mostram uma história. Uma história de muita dedicação, de muita conquista. Dedico especialmente ao Daniel Bloc ( jacques ), que é uma das pessoas mais maravilhosas que existe.

barco garotos 600


casa e arvore


banquinho 01

Esta foto é dedicada a uma das minhas maiores amigas, que tem sido uma fiel fonte de alegrias, de força de vontade, e tem me dado forças a continuar quando tudo parece perdido. Dedicada a Mônica Araripe. Monkynha, que esse belo por-do-sol te estimule cada vez mais a perseguir seus grandes ideais.

por do sol 2


FOTOGRAFIA: Dihelson Mendonça

Proibida a Reprodução, Cópia, e Salvamento sem autorização do Autor.
Os Infratores serão processados na forma da Lei de propriedade intelectual.

15 comentários:

Dihelson Mendonça disse...

Meu querido Pachelly,

Obrigado pelas considerações sobre as fotos, postadas lá no outro tópico. Rapaz, havíamos mesmo falado sobre a sua ida a Goiânia, mas foi algo breve, eu nem sabia que já era nesse fim-de-semana. E como foi lá ? Tinha boas composições ? quem venceu ? Saudades daqueles tempos em que pelo menos a gente ia com a banda e tudo...

Olha, muitíssimo obrigado pelos seus comentários. Sem querer, você acabou fazendo um comentário sobre cada uma mesmo, implicitamente, e realmente, a que eu escolhi para você , Mestre, teria que ser algo mais do seu nível, algo que não decepcionasse, que eu pudesse trabalhar com luz, cor, texturas, sombras.

Como te falei em outra matéria, fotografar o que já é belo, não mais me causa tanto alvoroço quanto antes. Por exemplo, ficar diante da Torre Eiffel e fotografar á noite...se eu percorresse a Europa trazendo fotos dessas, com certeza, por aqui alguns iria dizer que eu seria um grande fotógrafo, mas nós sabemos que fotografia não se resume a isto.

O interessante às vezes é fotografar o FEIO e mostrar de uma forma diferente. Algo que vai além da imagem, como a foto da galeria que postei aqui outro dia, misturando estátuas e pessoas. Fotografia também tem inteligência.

Muitas vezes a gente faz o gosto do público, até em música tem isso, mostrar o Belo, o que já é belo, mas nos causa um certo constrangimento. Sebastião Salgado, ali sim, tem fotos perfeitas, e só fotografa coisa feia.

Conheço muita gente que não gosta do Salgado, porque diz: "Esse cara só tem foto feia, de miséria" olha só que mentalidade. Outro dia, um cara me enviou uma série de flagrantes de uma cobra tentando agarrar um sapo, um leão pegando a presa e dizia: "Isto é que é foto, o resto é retrato"...

Conviver com a ignorância não é fácil. Eu gostaria um dia de deixar de fazer fotos comerciais, e perseguir apenas as idéias que eu tenho no pensamento, mesmo que quase ninguém goste delas. Vai ser uma escolha na vida, entre passar o tempo fotografando flores e coisas belas, ou fazer algo com Arte no sentido fotográfico, usando a LINGUAGEM da fotografia. Agora, paisagens, de qualquer moso, é sempre bom ver, porque enche nossos olhos de felicidade, não é mesmo ?

Abração,
Obrigado,

Dihelson Mendonça

samuk disse...

É concordo com você fotografar o que já é belo,é mole pricipalmente com a tecnologia de hoje.Gosto muito do trabalho do Salgado,um genio da fotografia.E você Dihelson, seu nível é muito bom.Belo trabalho!!SAMUK.

Rosemary Borges Xavier disse...

Dihelson meu caro amigo, muito boas as tuas imagens, porém venho fazer um chamado, para esta primeira fotografia, vejo que houve ai um desmatamento, não conheço os precedentes, mas segundo o Código Florestal Brasileiro não é permitido se desmatar as margens dos cursos d'água. Se esta parte da propriedade compreende a área de Reserva Legal (onde o proprietário tem que deixar 20%)da vegetação preservada, isto para nossa região do Nordeste, pois na região amazônica este percentual é de 80%. Portanto, se o proprietário realizou este desmatamento sem conhecer a legislação é bom tomar cuidado, pois dentro da referida reserva não se pode desmatar mesmo se tratando de propriedade privada.

Um abraço, até a próxima qualquer coisa estamos aqui, para colaborar no que é possível.

Rosemary Borges Xavier

Rosemary Borges Xavier disse...

Ah!gostei muito desta 12ª imagem, penso que esta árvore é um flamboyant (Delonixia regia, originária da China), vi uma desta em uma postagem da Claude, falei para ela que podia ser uma Cassia grandis, mas pelos frutos penso ser a flamboyant, foi por causa desta espécie que fiz o curso de Engenharia Florestal, um dia te conto a estória. Como você ver ela está desfolhada, esta é uma das características, perder as folhas em determinada época do ano, mas vejo que ai isto está sendo tardiamente, pois por aqui tem bastante e já está toda florada e folhada, por sinal as flores são lindas, de cor vermelho sangue, penso que você conhece.

Mas uma vez agradeço o espaço.

Rosemary

Dihelson Mendonça disse...

Rose, você tem razão. Houve umas queimadas por lá recentemente. Inclusive podem ser vistos os tocos. É que os agricultores vão começar a plantar.

Obrigado por nos revelar o nome científico das plantas. Na verdade lá tem muitos Flamboyants.

Abraços,
Obrigado,

Dihelson Mendonça

Rosemary Borges Xavier disse...

Bem Dihelson, achei estranho desmatar as margens do rio e agora que você fez esta colocação da necessidade do plantio, não haveria outro local? afinal, há uma abundância de água. Porém não sei o que será palnatado, logo pode ser necessário este local.E fico estarrecida com o que você coloca, quanto a uma prática tão arcaica de se fazer limpeza na área ateando fogo.
P.S. sempre que vejo fotos de espécies florestais que conheço, escrevo o nome, pois as pessoas que não são da área não tem obrigação, e fica apenas como um elemento.
Mas fica aqui a admiração pelas belas imagens, parabéns, você tem mãos e visão certeiras rs rs rs.

Abraços

Rosemary

Sima disse...

Essa série do Dihelson está divina, porém eu acho que essa foto da cadeira na casa abandonada merecia ter sido postada sozinha, em destaque. Mas eu entendo, o autor quis dar a entender que ela faz parte do ensaio.
É que para mim, apesar de todas as fotos serem belas, essa a que eu me referi faz as outras serem apenas meras fotografias de paisagens, roubou a cena realmente.

Outra coisa:
Sou assídua visitante de ambos os blogs, Olhares do Cariri e Zoom Cariri, e por isso me sinto no direito de criticar algo que vem acontecendo já a algum tempo:
é que vocês repetem sempre as mesmas postagens, o que faz os dois blogs parecerem um só, o que se posta em um, se posta no outro (com exceção do Joilson Kariri).
Isso faz com que eu não sinta a mínima vontade de visitar o outro blog depois de ter visto o primeiro, pois sei que não encontrarei novidades lá.

A todos os meus parabéns, com especial destaque para Pachelly Jamacaru, pelo seu talento, sensibilidade e humildade. Um grande fotógrafo, dono de seu próprio estilo, profundo conhecedor.

Ao Dihelson Mendonça por toda bagagem de sabedoria e inteligência, pela humildade com que divide esses conhecimentos, pela garra de chamar pra si a responsabilidade e carregar essa carga nas costas. Só quem sabe fazer tem autoridade para criticar, esse é o Dihelson!

Ao Joilson Kariri, pelo olhar fantástico e criativo. Seja nas fotos do cotidiano ou nas composições, suas imagens são sempre interessantes. Arrasa!!!! Coloco-o no mesmo naipe dos outros dois.

Abraços a todos.

Simone Boaventura

José de Arimatéa dos Santos disse...

Meu amigo Dihelson,
Estava eu após o jogo do Fluminenese zapeando pelo Blog do Crato e dou de cara com esse ensaio espetacular de sua autoria.
Na hora me lembrei daqueles quadros dos grandes mestres da pintura. Simplesmente essas imagens podem emoldurar e deixar mais belas as salas das casas ou ser expostas em grandes bienais. Ou ser capa de revista,livro.
Parabéns e continue assim!
Abraço!

Dihelson Mendonça disse...

Eu estou aqui boquiaberto com o comentário da Simone Boaventura pela lucidez do seu comentário em todos os pontos. Ela não só é uma observadora muito atenta, como também de uma sinceridade tipo a minha: Quando eu gosto, eu digo que gosto, quando detesto, digo que detesto. Isso tem me causado muitos dissabores porque nem todo mundo está preparado para escutar a verdade.

Olha, Simone, muitíssimo obrigado por suas palavras. Eu não vou responder pela parte que me toca, os seus elogios, porque a´cabaria por desmerecer a sua homenagem, mas posso ENDOSSAR tudo o que você disse em relação aos Blogs, em relação ao MESTRE Pachelly, em relação ao grande Joilson Kariri, e as outras coisas.

Eu gostaria muito que você pudesse participar mais dos nossos Blogs, e inclusive fazendo comentários no Blog do Crato também, porque estou sempre atrás de pessoas que venham para somar, para fazer a diferença, e com um só comentário, você impôs um respeito aqui que por alguns instantes, acho que parei de respirar.

Sobre as minhas fotos, a sua observação é de quem possui um olhar fotográfico dos mais refinados possíveis, pois ninguém havia comentado nada sobre essa foto, apenas o Pachelly, entretanto, quero divulgar aqui a veracidade da informação da Simone Boaventura, porque essa foto da cadeira já foi nominada nos últimos 2 dias para vários prêmios no FLICKR. De todas as fotos postadas, foi a foto escolhida por especialistas em fotografia que pode concorrer aos grandes concursos existentes lá. O que prova que a Simone é uma grande observadora.

Eu falava em outro comentário ao Pachelly, que fotos de paisagens é uma coisa linda de se ver, mas fotografia pra mim mesmo, hoje em dia, é outra coisa bem distinta disso. Na verdade, eu postei as fotos das paisagens, para as pessoas, e a foto da cadeira pra dizer tipo assim: "Essa eu fiz pra mim". Evidentemente, para se obter o respeito das pessoas, o fotógrafo precisa vender o peixe, fazendo paisagens e flores, coisa que eu não gosto muito.

Portanto, Simone, minha amiga, você deu um tiro de 12 numa mosca a 10Km e acertou em cheio.

Um forte abraço,
Parabéns.
E eu quero estar perto de você. Não percamos contato. Escreve para meu e-mail:

blogdocrato@hotmail.com

Abraços,

Dihelson Mendonça

Dihelson Mendonça disse...

Meu amigo Arimatéa tem um jeito todo seu de comentar as coisas. Muito obrigado pelo comentário, meu querido amigo, sobre os superlativos aí das minhas fotinhas mixurucas, e quem sabe um dia, alguma delas vai mesmo para a capa de um livro ? rs rs rs

Abração,
Muito Obrigado grande homem do Trem de Minas!

Dihelson Mendonça

Joilson Kariri Rodrigues disse...

Simone
Primeiro quero agradecer pela homenagem, muito obrigado mesmo.

Concordo contigo em tudo que foi
dito. Realmente a foto do Dihelson, essa da cadeira, é magnífica. O seu apontamento demonstra bem o seu nível de conhecimento. O Dihelson foi muito feliz nessa composição.

O desolamento do ambiente, as nuances refletidas no piso que vão convergindo para destacar a cadeira. Essa, a cadeira, aproveita esse fato e se destaca como protagonista na imagem e cumpre seu papel de passar uma sensação de ausência profunda, de vazio de algo que já foi cheio. A janela oferece fuga ou confronta o ambiente escuro deixando entrar a luz? A vida, que ali é ausente, pode retornar por essa abertura? ou foi por ela que saiu?

(talvez essa cadeira seja o trono imponente de um rei esperando seu substituto)

Espero ter aqui conseguido passar o que nós vemos quando observamos uma imagem assim.

Abraços!

Pachelly Jamacaru disse...

Rapaz, a foto tá bem resolvida e tão bem tratada, sem falar no quisito composição que com a paciência de quem tece um tapete Persa, você fez da simplicidade, algo notável!

Podemos apreciar a textura, o equilíbrio dos meios tons de cinza, a medição primorosa da luz, enfim, por estas e outras você não errou para mim, com esta oferenda!

O difícil é tornar o belo mais belo ainda, eh eh! o Feio menos feio, o comum, diferente! e por ai vai, rs rs

Quando isso acontece é recompensador! Parabéns, mais uma vez!

Pois é, houve até uma reuião lá para ver se voltava aquele formato de Festival, onde levava-mos nossa Bandas, mas ocorre uma lamúmria financeira e termina que não voltamos aqueles bons tempos!

Sou suspeito de comentar quando faço parte da concorrência, mas, se me permitir a isso, diria, que o Ceará está lá lá bem noutra musicalmente falando.

Bastar dizer que o molho que levei agora, que depoius te mostro, e que era uma quase uma unanimidade esntre os participantes, não foi sufiente para vencer uma Sertaneja e forró que sagraou primeiro e segundo lugar! Só o amigo vendo para crer!

Mas, desde Prima Fauna e Mana Flora, o meu padrão musical vc sabe qual é! E só naquele nível!
Não acho que perdi para o que perdi!

Foi muito legal ter conhecido a banda, muito boa por sinal, da rapaziada nova de Brasília, precisava ver, meninos muitos bons! Por isso valeu! Tde conto mais depois!

Abração

Pachelly Jamacaru disse...

Que maravialha, temos aí mais uma comentarista, que é o que muito precisamos em nosso blogs! E pelo visto uma pessoa imaprcial e consciente!

Muito bem vinda Sima! Obrigado por suas palavras!

Um grande abraço e continue conosco, ambos os Blogs e que acatem a sua sugestão!

Dihelson Mendonça disse...

Meu querido Pachelly,

Sobre a foto da cadeira, o fotógrafo atento, ou apreciador observará que um dos objetivos dessa composição foi cobrir quase todos os planos.

Observem a quantidade de planos geométricos formados pelos cantos de parede, em linhas diagonais, em direções contrárias, formando um poliedro ( figura de muitos lados ), que somados, servem de plano geral aonde outra figura vai reinar soberanamente: A cadeira vazia ( que fala mais que com uma pessoa, porque supõe ter alguém, e força o observador a se colocar sentado nela ), que contrastando com todos os planos, vem na direção do espectador e está mais próximo deste. A janela forma o único plano perpendicular ao olho, porque é a única coisa que está de frente mesmo. Então surge uma espécie de relação de contiguidade entre a janela e a cadeira. Se o espectador observar bem, verá que a janela e a cadeira estão também corretamente situados nos pontos da REGRA DOS TERÇOS. Um superior e outro inferior. A medição de luz foi muito cuidadosa, porque o contraste é máximo no local, de modo a evitar que eu tivesse o estouro da luz na janela e o preto total no piso. Então, a solução foi realizar várias medições em diferentes pontos da sala até achar um que oferecesse a maior faixa dinâmica possível. O uso de uma grande angular com correção de distorção esférica realçou a perspectiva, e foi usado um filtro polarizador para melhorar a dinâmica também. No pós processamento, a correção do balanço tonal conferiu tons de cinza e preto distintos, que fizeram desta foto algo que eu realmente pude gostar bastante.

Essa é a parte técnica. A parte "emocional", a escolha do motivo, aí é outra coisa...eu me liguei muito às minhas lembranças de quando morei numa casa destas, na infância.

A foto está sendo muito elogiada e indicada para premiações nas galerias de Foto-Arte no FLICKR.

Que bom! Porque às vezes a gente chega a duvidar da nossa capacidade e talento, e esse tipo de coisa nos serve para que não desanimemos.

Meu amigo Pachelly, sobre o Festival em que você distintamente participou, eu não tenho a menor dúvida, sem ouvir e sem ver o que você apresentou, que o Ceará está musicalmente bem representado. E ouso dizer pelo que conheço das suas composições que eu não acredito que lá houvesse nenhuma melhor e com mais nível do que a sua. Desde jovem sempre fui grande admirador da sua obra musical, que me influenciou bastante, e acho-a, como sempre disse isso em público, que você não tem nada a dever de um Caetano, de um Gil ou Ivan Lins no que se refere à Composição Musical.

Abraço,

Dihelson Mendonça

Pachelly Jamacaru disse...

Obrigado Dihelson.

Sua foto é uma daqueles que fala por si. pretendendo ou não justifica-la, sabemos que ela responde por si!

Grande abraço, continue assim!